Terceira Automóvel Clube

Notícias

Parabéns TAC!

Segunda, 25 Maio, 2015 <br />
<b>Notice</b>:  Undefined variable: nome in <b>/home/taccom/public_html/noticias/ver.php</b> on line <b>39</b><br />

O Terceira Automóvel Clube comemora amanhã (dia 26 de maio) 40 anos de vida! De parabéns está o clube, mas também os seus sócios, os seus simpatizantes, os desportistas, toda a familia do TAC em todas as suas seções, o concelho de Angra do Heroísmo, a ilha Terceira, os Açores. Não fosse o Terceira Automóvel Clube, a associação desportiva açoriana mais eclética.

Na foto que acompanha este artigo, e para além dos diferentes logos de todas as secções do clube, estão os Homens que em maio de 1975 assinaram a escritura que fundou o Terceira Automóvel Clube, da esquerda para a direita, Amândio Pastor, Joaquim do Carmo, Luis Gabriel Martins, Luis Braz e Jorge Azevedo. 

Os cinco fundadores do clube sedeado na Avenida Jácome de Bruges foram recentemente homenageados (22 novembro de 2014) na Gala do TAC. Por curiosidade, a foto foi tirada em março deste ano na sede do clube e por ocasião da 34ª edição do Rali Sical.

Deixamos de seguida a transcrição das palavras, e como só ele sabe, de Miguel de Sousa Azevedo - um apaixonado pelos ralis e pelo "seu" clube - publicadas hoje no jornal Diário Insular, sobre os 40 anos do Terceira Automóvel Clube.

"Completam-se amanhã 40 anos sobre a formalização da escritura que criou o TAC-Terceira Automóvel Clube, um documento que oficializou as diversas ações que o grupo, desde 1986 sedeado na Avenida Jácome de Bruges, em Angra do Heroísmo, já levava a cabo, mormente a realização de provas desportivas motorizados, entre as quais os até então ralis "clandestinos" merecem lugar de honra, pelas histórias que motivaram, e pelo espírito empreendedor e inovador que um punhado de jovens - e alguns menos jovens - terceirenses souberam demonstrar. Naquela altura, ser empreendedor significava iniciativa, trabalho e muita dedicação, não apenas o preenchimento de alguns papeis, a "cunha" certa e o chão para andar dado de mão beijada. A longa sucessão de acontecimentos e pessoas ligadas ao bonito símbolo criado por Rafael Barcelos não se fez de bons nomes nem de padrinhos, mas antes de um pleno amor pela causa dos desportos com motor, conseguindo replicar-se, numa ilha isolada e de economia débil, muito do que se via e fazia "lá fora". Este sim, era o espírito com aquele grupo se encerrava horas a fio, com a casa às costas, a tentar encontrar voz legal, massa crítica e bases sólidas para pôr os carros na estrada, a correr contra o relógio.

Há vários momentos, ao longo destes 40 anos, a marcar de forma indelével a história do clube, que, em maio de 1975, organizou em conjunto com a então Associação dos Desportos de Angra do Heroísmo, uma prova denominada "Primeiro Passo do Ciclismo". No mesmo ano, o I Circuito do Cabrito alcançou um enorme sucesso e mereceu louvores oficiais. Em 1976, o TAC apoiou a primeira participação de equipas terceirenses na Volta à Ilha a São Miguel para, no ano seguinte, obter o seu alvará de organizador de provas automobilísticas. 1978, exatamente nos dias 31 de março, 1 e 2 de abril, o Rali Primavera, primeira prova oficial do clube, marcava o arranque dos ralis federados na Ilha Terceira. Ralis, Perícias, Rampas, Todo-o-terreno, Motocross, Karting, Passeios de Clássicos...desde então foi um não mais parar de eventos e certames, onde o Rali Ilha Lilás, que apenas não se correu em 1980 - ano do terrível sismo que assolou o Grupo Central - tem natural destaque, assim como o Rali Sical, desde 1982 associado a um mesmo patrocinador, numa união sem igual no nosso país e até fora dele. Longe vão assim os tempos de troços míticos, como o antigo Barro Vermelho com as suas lombas sucessivas, ou o sinuoso São Brás/Fontinhas, onde todo o cuidado era pouco. Em 1986, o Circuito das Sanjoaninas - bem ao jeito do italiano "Memorial Bettega", deixou saudades onde hoje se situa o Estádio João Paulo II. Em 1988, uma equipa do TAC - formada por José Bernardo, Jorge Azevedo e Jorge Gomes - participou no 3º Raid a Portugal, então a prova rainha do TT nacional. Em 1987, o clube quebrou o paradigma e organizou o primeiro rali totalmente disputado em asfalto nos Açores, o Rali Agência Teles. No mesmo ano em que, mesmo em frente à nova sede social, a autarquia angrense e o clube inauguravam uma pista de Karting, a primeira feita de raiz na Região, numa prova onde marcaram presença pilotos continentais, entre eles Manuel Gião. Dois anos depois, coube também ao TAC ser pioneiro no todo-o-terreno, organizando o 1º Raid dos Açores, com motos e 4x4 a inovarem a contenda. Em 1991, é sob as cores do TAC que um piloto da Terceira se sagra pela primeira vez campeão regional de ralis, no caso Joaquim do Carmo, também ele um nome da primeira hora do clube, numa conquista que depois Gustavo Louro alcançou em seis ocasiões, entre 1996 e 2004. Foi através do TAC que, mais recentemente, e fruto de parcerias frutuosas, se abriram novas realidades para o desporto automóvel nos Açores - muitas delas depois implementadas a nível nacional -, que acabaram por multiplicar de forma efusiva o número de realizações e provas por esses Açores fora, com melhores e mais baratas condições para os pilotos, com a Terceira a ser o foco das atenções pela inovação demonstrada. Uma vez mais, os princípios orientadores da fundação do clube estiveram presentes, e assim se deseja que não estagnem nas memórias.

Este texto poderia alongar-se, até porque estabelecer um paralelo de vida com a existência do TAC é, para mim, uma tarefa tão natural como gostar de ouvir um carro de competição a trabalhar. Mas é mais fácil felicitar quem levou toda esta enorme obra a bom porto. As centenas e centenas de dirigentes, colaboradores, competidores e adeptos que lograram fazer destes 40 anos um caminho de sucesso. Mesmo se nem todos são sempre lembrados, mas sabendo que todos eles nutrem um carinho especial por aquele emblema de memórias.

Endereço, por isso, os parabéns ao clube e seus responsáveis, recordando todos os seus presidentes: Manuel Fonseca, Fernando Fausto Martins, Jorge Medeiros, Francisco Maduro-Dias, Carlos Soares, Francisco Almeida, Carlos Costa Neves, Gualter Coelho, Péricles Ortins, José Manuel Bettencourt, José Pedro Cardoso e Gerardo Louro da Rosa. Em boa hora, este clube nasceu. Saibamos todos fazer valer-lhe a história. Parabéns, TAC."

Texto: Miguel de Sousa Azevedo (sócio 193) in Diário Insular
 Foto: Direitos Reservados 

Ver todas notícias

Bem vindo ao novo portal do Terceira Automóvel Clube! Fundado em 26 de Maio de 1975, este é um clube que promove o desporto motorizado, mas também outros desportos não motorizados como natação, basquetebol, futsal, voleibol e ténis de mesa, bem como outras vertentes da sociedade terceirense, sendo por isso, uma Instituição de Utilidade Pública de olhos postos no futuro.